ESPORTE: Coritiba 3 x 4 Adilson Batista


Melhor em campo, Rafinha criou várias oportunidades para o Coxa contra o São Paulo. Foto: Assessoria Coritiba

O futebol provou mais uma vez a sua imprevisibilidade (!?). Na noite desta quarta-feira (27), com o Estádio Couto Pereira lotado, mesmo jogando melhor o Coritiba foi derrotado pelo São Paulo por 4 a 3. O técnico tricolor Adilson Batista armou bem o time e usou a rapidez da sua linha de frente em seus contra-ataques fatais. Para o Coxa, o resultado poderia ter sido melhor, caso o seu volume de jogo fosse transformado em gols. O árbitro também atrapalhou, não marcando duas penalidades claras para o time alviverde, além da contestável expulsão de Davi ainda no primeiro tempo.

Logo no começo do jogo, o Coxa foi para cima, e com menos de um minuto, a trave de Rogério Ceni já havia sido carimbada. O São Paulo, recuado, não conseguia passar do meio campo. A pressão assim seguiu até os 16 minutos, quando o time paulista usou a sua arma mortal. Em uma rápida troca de passes, de pé em pé a bola foi parar nos pés do mordido ex-coxa-branca Carlinhos Paraíba, que acertou um belo chute no gol de Édson Bastos, que nada pôde fazer.

Mesmo com o placar adverso, o Coritiba não deixava o São Paulo respirar e seguiu da mesma maneira covarde, se defendendo e passando a bola para a rápida linha de frente são-paulina resolver. E eles resolveram: Juan e e Dagoberto, marcaram, o segundo e terceiro gols, desestabilizando de vez o alviverde do Alto da Glória. E se não bastasse a goleada, ainda na primeira etapa exageradamente o juiz expulsou Davi em um lance contestável. Após uma falta dura, veio o amarelo. Na sequência, o jogador raivosamente jogou a bola no chão e recebeu o vermelho.

Vaiado durante os 90 minutos, Carlinhos Paraíba abriu o placar e comemorou contra o seu ex-clube. Foto: Veja.com

O segundo tempo começou e, apesar do silêncio de seu torcedor (que mesmo tenso apoiou o time o jogo inteiro), o Coritiba não se mostrava abatido. Mas quando novamente estava melhor em campo, recebeu um duro golpe. Numa infelicidade da defesa, um recuo mal planejado, Lucas fez uma pintura de gol, encobrindo Édson Bastos e praticamente “matando” o jogo.

Como já disse antes, o Coritiba não se mostrava abatido. Com maior volume de jogo, o placar se mostrava injusto. Aos 22, Rafinha – talvez o melhor em campo – acertou um belo chute e diminuiu. Mais que isso, numa prova de amor ao clube, o jogador beijou o escudo e voltou rapidamente ao centro do campo. Aos 29 e aos 42, o raçudo Bill ainda diminui mais a fatura e colocou emoção no jogo. O tempo passou e o placar ficou mesmo no 4×3.

Um belo jogo de futebol. O placar coroou o esquema armado por Adilson Batista e foi cruel a falta de sorte das finalizações coxas-brancas. O torcedor, apesar da derrota, entoou o grito de “Coxa, eu te amo” nas arquibancadas do Couto Pereira. Vontade mais uma vez não faltou!

Betboo

Como vocês puderam conferir ontem, os meus palpites da rodada não deram muito certo. Além da derrota do Coritiba, o Cruzeiro decepcionou e perdeu por 2 a 0 para o Atlético (GO), deixando a minha conta do Betboo mais pobre. Menos mal que o Flamengo (a minha “zebra” da rodada) passou pelo Santos (5 a 4), na melhor partida do Campeonato Brasileiro deste ano. Com as cotas altas santistas (3,7), não levei prejuízo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s